quarta-feira, 14 de abril de 2021

Questão

 Na série Ladybug (cujo titulo completo não tenho paciência para descobrir), o Falcão Traça "akumatiza" as pessoas para que elas lhe deem os "miraculos" da Ladybug e do Gato-noir. As pessoas "akumatizadas" normalmente têm algum poder que afeta as pessoas à sua volta. A Ladybug e o Gato-noir derrotam o vilão (pessoa akumatizada) e a Ladybug devolve tudo ao normal. Por exemplo o "Bolhas", prendia pessoas (aqueles que o irritavam, chateavam ou simplesmente discordavam dele em alguma coisa) dentro de bolhas e mandava-os para o espaço.

Então a minha questão é: se algum vilão conseguisse capturar os miraculos, e dá-los ao Falcão Traça, o que acontecia ao vilão e às pessoas afetadas por ele? Ficavam como estavam para sempre? O Falcão Traça retirava o akuma e as pessoas voltavam ao normal? E se ficavam como estavam, o vilão começaria a atacar as pessoas fora de Paris?

Atenção: Eu já não vejo a série da Ladybug à algum tempo.

Nota: se tiver escrito algum termo/nome da série, mal, peço desculpa a qualquer pessoa particularmente sensível aos ditos erros.

terça-feira, 13 de outubro de 2020

Espécie de Desafio

 Então, desde o inicio da pandemia que me dá a impressão que não passa um dia sem que o COVID-19 (ou algo relacionado) seja mencionado.

Também me dá a impressão que qualquer tema, qualquer que seja, vai dar ao COVID. Gatos? COVID. Cortar o cabelo? COVID. O almoço de ontem? COVID. Uma parvoíce qualquer? COVID. *

Por isso, vou lançar esta espécie de desafio:**

Passar 1 dia (ou mais se quiserem):

  1. sem falar/ouvir sobre o coronaviros*** (como é que isto se escreve?);
  2. mencionar a pandemia*** ou os problemas que vieram com ela;
  3. E (se conseguirem) não pensar nas coisas mencionadas acima.


*sim, é uma doença que resulta na morte em alguns casos, mas não temos de virar todas as conversas para aí.

**aconselhável fazer isto num dia em que fiquem em casa (não dá para impedir os desconhecidos de falar/ouvir sobre este tema)

***se quando lerem isto as coisas já não estiverem tão loucas, podem alterar o tema tabu (é assim que se chama? ou escreve?)

segunda-feira, 28 de setembro de 2020

Os anéis de Lauritzel (parte 2)

Anteriormente...


Nesse fim-de-semana, assim que os pais se foram embora, correram as três para a sala do trono. Quando lá chegaram,aproximaram-se do expositor, atrás do trono do rei, e viram um único anel, era de ouro e tinha uma rosa feita de pequenos rubis. A única coisa estranha, era que havia dois suportes para anéis.

Uau!” Exclamaram em uníssono.

É lindo.” Disse Priscila, com os olhos fixos no anel.

No entanto, Adelaide tinha um pressentimento estranho em relação ao anel. Havia uma aura negra à volta dele, no entanto sentia ainda outra aura, mas esta era diferente, mais suave e relaxante. Também reparou numa pintura por cima do expositor. Uma mulher de cabelos e olhos vermelhos e um sorriso maléfico.

Ia a chamar-lhes a atenção para esse factos, quando Priscila, hipnotizada pela beleza do anel, lhe pegava e punha no anelar. Assim que o foi posto no dedo, os cabelos dela tornaram-se vermelhos, as roupas, normalmente de cores alegres, ficaram pretas e ela cresceu uns dez centímetros. Quando se virou para as irmãs, os olhos também estavam vermelhos.

Ela soltou uma sonora gargalhada.

Finalmente,” a voz dela também estava alterada “depois de todos estes anos, estou livre. Desta vez, aquela parva da Andrómeda não me irá impedir.”

Ela desfez-se numa espécie de fumo negro e saiu da sala do trono.

O que é que fizemos, o que é que fizemos…” murmurou Sandra nervosa.

Como é que eu me deixei convencer? Primeiro, desobedecemos à mãe e ao pai, e agora, transformámos a Priscila numa,… numa espécie de bruxa! Porque é que tens de ser tão teimosa?!” Adelaide, quase gritou. “Se vocês as duas não tivessem insistido tanto, nada disto tinha acontecido!”

Eu não sabia que isto ia acontecer!” Sandra gritou, exasperada. ”Nós pensávamos que nos dariam poderes, não que nos ia transformar em bruxas loucas.”Respirou fundo antes de continuar. “Mas, agora, devíamos descobrir como aconteceu e como o corrigir.” Finalizou, acalmando-se.

Tens razão, vamos procurar aqui à volta, talvez encontremos algo.”

Coisas que aprendemos com a coleção da Anne of Green gables

Esta lista é só a gozar
  1.  Se o nome de algum sitio, ou alguma coisa não te soa bem, arranja-lhe outro mais poético, passa a palavra aos teus amigos e, mais tarde, aos teus filhos, de modo que já ninguém sabe o verdadeiro nome;
  2. Raparigas, alguma vez se zangaram tanto com um rapaz que lhe bateram na cabeça com o vosso livro, caderno, lousa, ou qualquer outra coisa que tivessem à mão? Sim? Pois bem, é o vosso futuro marido;
  3. Têm uma pessoa de idade, que não sai da vossa casa, embora já lá tenha ficado mais tempo que o necessário? Organizem-lhe uma festa de aniversário, a pessoa irá embora.
  4. Carregar um bolo, em público principalmente, é uma coisa vergonhosa.
  5. Uns irmãos que vocês só reconhecem de vista vêm até ao sitio onde vocês estão a ir comer. O que se faz? Convidem-nos para comer convosco.

segunda-feira, 7 de setembro de 2020

Pequena curiosidade

Não me lembro da época ou século, mas houve uma altura em que era considerado atrevido mostrar o tornozelo.

Imaginem o quão chocados, a maioria das pessoas desse tempo, se sentiriam se vissem as roupas atuais.